Dia do artista: aquele que faz da arte um estilo de vida

No Lar dos Velhinhos de Campinas a arte é usada como recurso terapêutico

O dia 24 de agosto é dedicado ao artista. Sempre apaixonado pelo que faz, o artista é aquele que passa seus sentimentos através da sua arte, seja ela a música, o teatro, pinturas, ou as esculturas.
No Lar dos Velhinhos de Campinas, é grande a quantidade de idosos que encontraram na arte mais do que uma distração, descobriram uma forma de demonstrar e expandir seus sentimentos. Um deles é o José Braga, de 85 anos. O Sr. José mora no lar há dois meses e toca violão, cavaquinho, guitarra, flauta e gaita e já se aventurou na sanfona e no baixo.
Ele é autodidata e se orgulha em falar que aprendeu sozinho a tocar seus instrumentos. Sempre teve gosto pela música e desde os 7 anos toca violão e cavaquinho. Quando se mudou para São Paulo há 12 anos, começou a tocar gaita e flauta, instrumentos que hoje são suas paixões. "Tocar traz felicidade!", afirma.


Além do Sr. José, a Dona Maria Lourdes Prata também é envolvida na música. Aos 92 anos e residente há 5 anos no Lar, Dona Maria pinta telas, escreve poesias, ama compor e cantar. Lurdinha, como é conhecida, conta que desde os seus 11 anos era sempre convidada para ajudar com a pintura nas comemorações da escola.


Após o falecimento do seu marido, Lurdinha começou a aprimorar-se da pintura, época que também veio sua inspiração para escrever poemas e músicas. De lá para cá não parou mais. Já pintou muitas telas e tem uma pasta repleta de poemas e músicas de sua autoria. “Me sinto bem quando faço minhas artes, é um verdadeiro prazer que faz bem para mente e para coordenação motora”, completa.

Um eterno poeta
Além de Lurdinha, o Sr. Raimundo Gonzaga, de 80 anos também tem grande intimidade com a poesia. Morador da entidade há 2 anos, Sr. Raimundo sempre achou bonito quem escreve e, de dez anos para cá, resolveu se aventurar nas poesias. Começou escrevendo sobre sua vida e a vinda do Ceará para Campinas há 59 anos com a família. "Às vezes, uma única frase marcante rende uma poesia toda. Escrever é uma alegria, um passatempo que me mantem ativo. Antes de começar a escrever, eu não lia muito e agora tomei gosto pela leitura, pois quem não lê não tem informação." conta.
Segundo terapeuta ocupacional do LVC, Giselle Habermann, na entidade a arte é utilizada como um recurso terapêutico que contribui na reabilitação mental e cognitiva. “É uma ferramenta de socialização, que também estimula memória e motivação. Quando são estimulados a desenvolver alguma atividade artística, é possível que o idoso descubra um dom que até então era desconhecido” comenta.



Lar dos Velhinhos

Promover o envelhecimento saudável e exercer o cumprimento dos direitos na integridade social do Idoso. É esse o Trabalho que o LVC há 112 anos vem desenvolvendo e divulgando. 
Endereço: Rua Irmã Maria Santa Paula Terrier, 300, Vila Proost de Souza, Campinas. Telefones: (19) 3743-4300 | (19) 3743-4330


Seja um colaborador!
O Brasil possui hoje 20 milhões de idosos. Em 2050 esse número poderá chegar a 64 milhões. Colaborar com o Lar dos Velhinhos é investir numa instituição séria, competente e reconhecida. É investir no futuro!
Para fazer doação pontual (dinheiro, alimentos ou roupas), por meio da Nota Fiscal Paulista ou ser voluntário do Lar dos Velhinhos de Campinas, basta entrar em contato pelo telefone da (19) 3743-4300.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.