Cine Lacaneando: Casa Guilherme de Almeida exibe “Ralé”

quarta-feira, junho 07, 2017


Após sessão acontece debate com especialistas de diferentes áreas sobre a obra
exibida Apresentar clássicos do cinema, seguidos por debates com profissionais de diversas áreas do conhecimento. Este é o Cine Lacaneando, que acontece na Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, e no dia 10 de junho às 14h, exibe Ralé.

A obra de Helena Ignez conta a história de um barão ex-viciado em heroína (Ney Matogrosso) que decide fundar uma seita ligada aos rituais com ayahuasca, chá alucinógeno do Santo Daime. Uma investigação sobre a alma brasileira, com reflexões sobre questões existenciais, individualidade sexual e direito de liberdade. O título do filme é uma referência à peça do escritor russo Máximo Gorki. A conversa pós-filme é com a diretora Helena Ignez, cineasta com mais de cinco décadas de produção, e o psicanalista e escritor Renato Tardivo. 



A atividade acontece na Sala Cinematographos, que busca promover a discussão sobre a linguagem cinematográfica a partir de sessões gratuitas seguidas de conversas com especialistas, cursos e oficinas.

Helena Ignez é atriz e cineasta com mais de 50 anos de produção nos vários campos das artes cênicas e cinematográficas. Participou de inúmeros filmes do Cinema Novo até começar uma parceria criativa com Rogério Sganzerla.

Renato Tardivo é psicanalista e escritor. Mestre e doutor em Psicologia Social pela USP, é autor do ensaio “Porvir que vem antes de tudo – literatura e cinema em Lavoura Arcaica”, da novela “Castigo” e dos volumes de contos “Do avesso”, “Silente” e “Girassol voltado para a terra”. Colabora regularmente com a revista Cult e Observatório de Imprensa. 

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurada em 1976, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa
coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret.
Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país.

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar

espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.