"Nós: 100 anos": exposição homenageia primeiro livro de poemas de Guilherme de Almeida

quarta-feira, maio 31, 2017


Em comemoração ao centenário do primeiro livro de poemas de Guilherme de Almeida, o Museu, que leva o nome do escritor, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, apresenta a exposição Nós: 100 anos. A mostra acontece a partir do dia 20 de junho, das 10h às 18h, e conta com as quatro edições do livro Nós e 12 obras de autores diversos lançados em 1917 – ano de estreia do livro de poesias de Guilherme de Almeida – tais como, Mário de Andrade, Amadeu Amaral, Julia Lopes de Almeida, Cassiano Ricardo, Alvaro Moreyra, Menotti Del Pichia e Felix Pacheco. Além de reproduções em jornais e manuscritos que remetem livro de poemas.



O principal destaque da mostra é o livro de poemas Nós, que levou Guilherme de Almeida à fama e que narra uma história de amor entre dois personagens e ainda conta com ilustrações de Correia Dias, artista plástico modernista. A primeira edição teve uma tiragem de 1.015 exemplares, sendo 15 de luxo, e esgotou-se rapidamente. Na época, foram escritas mais de 1.200 críticas na imprensa brasileira e portuguesa. Guilherme de Almeida publicou o livro aos 27 anos, por insistência do poeta Amadeu Amaral, que reconheceu o talento do jovem promissor. Em junho de 1917, alguns dias após o lançamento da obra, Amadeu Amaral escreveu uma crítica no jornal Estado de São Paulo: “É um livro de estreia. Desse jeito até onde irá? Muito longe com certeza”.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurada em 1976, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas a poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret.
Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país. Para mais informações acesse o site do museu: http://migre.me/vFQfe




SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Exposição Nós: 100 anos
Curadoria de Ivanei Silva, Marlene Laky e Marcelo Tápia
Abertura: 20/6, terça-feira
Visitação: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h
Recomendação etária: livre.

Casa Guilherme de Almeida
Museu: Rua Macapá, 187, Pacaembu
Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Telefone: (11) 3673-1883 / 3672-1391
De terça a domingo, das 10h às 18h.

Site: www.casaguilhermedealmeida.org.br

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.