Cara realmente especial

segunda-feira, março 28, 2016

Não sei ao certo quanto tempo se passou, ou por quanto tempo eu esperei, mas sei dizer que naquele momento a minha vida mudou. Ela chegou, me encarou com um sorriso encantador em seu lábio, e me fez ouvir sua voz animada e agitada:
- Prazer! Alexia.
Eu, tímido, estendi meu braço e me senti sugado por sua força altamente elétrica e, quando me dei conta, ela havia me abraçado. Naquele momento, com seus cabelos azuis, invadindo meu nariz, eu pude notar que eles cheiravam a baunilha com um leve aroma de chantilly, mas não era qualquer chantilly, era como aquele que está em um milk shake bem preparado. Sua voz fez com que eu realizasse um pouso forçado da minha mini viagem,  quando ela fora de meus braços me encarava com seus olhos azuis grandes e curiosos, - nessa hora eu pude ver um universo de possibilidades. E, então, de repente eu sabia: ela iria mudar minha vida-. 
Empurrado por uma onda de coragem e impulso, eu a agarrei e retirei daqueles lábios algumas palavras, palavras de  amor, e entre relatos dum amado aqui e outro ali, eu a ouvi confessar: ela  já havia se entregado sem medo. Quando essas palavras se alojaram em meu cérebro, eu percebi o quanto desejava me entregar para aquele ser extraordinário. Deixei meu braço tocar seus cabelos, e meu corpo estremeceu, ela pareceu não ficar tímida. E quando eu me dei conta, sentia o gosto doce de seus lábios sobre o meus, e minhas entranhas se reviravam de entusiasmo e nervosismo. Após presenciar em pessoa os estragos de uma paixão a primeira vista, ajeitei os cabelos que jaziam emaranhados, uma vez que as unhas de Alexia, insistiam em penetra-los.
Observando o horizonte, sobre os peitos de Alexia, que imitavam grandes montanhas percebi que o dia já estava em seus últimos suspiros, enquanto os cabelos dela voavam lentamente empurrados pela brisa leve que cheirava a bacon.Pois estávamos deitados ali no gramado que fazia fundo com um Mc'Donalds, e mais uma vez eu aproveitei para observá-la descaradamente, quando fui de súbito interrompido por Georgie meu amigo:
- Você não deveria observar com tanto entusiasmo, a namorada de outra pessoa... - declarou ele enquanto colocava um punhado amassado, de batatas fritas na boca.
- É, talvez não. Mas é difícil não olhar alguém tão excepcional. 
 Os cabelos dela continuavam a se movimentar, e eu a observá-la, embora agora eu o fizesse com uma expressão nada agradável, devido ao penetrante olhar de Georgie. O dia parecia não querer acabar, afinal depois daquela tarde incrível ao lado dela, não consegui sentir os efeitos do tempo.Eu sorri para ela que me sorriu de volta. Fiquei sem saber se eu era apenas mais uma traição em sua lista, ou se realmente eu tinha sido especial.
Ela se despediu e deixou um beijo leve e doce em minha bochecha, motivo de piada para Georgie, que alegava que essa era a natureza dela, “ser simpática com todos, quando ela queria”, e eu acreditei, a imaginei nesse momento como uma garota livre e carinhosa com todos os que conhecia, mas que me faria especial em sua vida. Fiz isso porque algo me fez querer ignorar o comentário sincero de meu amigo, e começar então a alimentar esse sentimento que queria crescer, me imaginando como um um cara realmente especial.

A noite caiu. Acendi meu terceiro cigarro do dia.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.