Resenha: O Lago Negro

terça-feira, janeiro 26, 2016
A história gira em torno de Verônica, uma garota problemática e anti social, marcada por uma terrível tragédia. Perdeu o pai ainda quando criança em um acidente que desencadeou outros transtornos, levando a ser internada numa clinica. Apesar de tudo, é uma garota forte e inteligente, que pretende seguir os passos do pai como escritora. Inclusive um de seus objetivos é encontrar a inspiração necessária para finalmente colocar no papel todos os diálogos que estão presos em sua mente. Para isso, ela procura a orientação do professor Carlos Velásquez, um antigo amigo de seu pai.

Quando Verônica chega na cidade, acompanhada de seu namorado Enzo, encontram com uma cidade nebulosa e uma comunidade inóspita.


Na sua primeira ida sozinha a cidade, ela se depara com a grosseria das pessoas que ali residem e ao vir embora ela encontra uma casa grande, aparentemente inabitada. Sua curiosidade de jornalista a leva a se aproximar dando de cara com O Lago. Lá ela acaba esbarrando com os donos da propriedade, Vicente e Katarina Caprini, eles conversam e o misterioso casal convida Verônica para ser baba da pequena Lizandra.


Todos esses personagens que preenchem os pensamentos de Verônica, são parte da vida dela e mesmo sendo fictícios, são tão reais que tem Momentos que ela não sabe distinguir o que é real. Ficção e realidade se misturam, ela se perde na sua própria loucura e nos perdemos junto com ela.

No meio dessa loucura toda, Verônica acaba se afastando de seu namorado Enzo. E no meio de suas buscas, acaba encontrando Liam. Filho de um dos professores da universidade, que também esta em busca de respostas. Liam é um forasteiro, metido a sabe tudo e dono de um olhar penetrante, não agrada Verônica no início, mas a busca em comum os unem, fazendo com que um entre de vez na vida do outro.


Narrado em primeira pessoa. O livro é dividido em três partes, alternando o ponto de vista de Verônica e Liam. A diagramação esta incrível, com desenhos em todos os capítulos e bom espaçamento entre as linhas, sem contar a capa que é incrível, é aveludada, estilo Fallen.

É uma leitura repleta de mistério e fantasia, a autora nos apresenta um quebra cabeça e ansiamos o momento em que encaixaremos todas as peças, contudo, não temos as respostas para todas as perguntas, até porque esse é o primeiro de quatro livros, ou seja, só temos cerca de 20% das peças. Diversas teorias me passaram pela cabeça, mas confesso que ainda estou meio perdida.
A Juliana consegue me surpreender a cada palavra, sua escrita é fabulosa e uma profundidade incrível, a conexão entre os personagens e seus sentimentos, é mágico, o mundo da Ju se torna o nosso mundo.
Só sei que preciso de mais!

Então, se vocês gostam de história cheia de suspense, mistério, fantasia, drama e romance, leiam esse livro e não irão se arrepender, permitam que as águas do Lago Negro invadam vocês.



"Pessoas que se julgam sãs, com mentes saudáveis, quando param para pensar nos loucos a correr pelas ruas ou nos trancafiados em hospitais, sentem-se inundados de uma repulsa disfarçada de pena, o que os motiva a buscar mais e mais sua própria sanidade."

Um comentário:

  1. Sua lindaaaaaaa! Você sempre me surpreendendo com seu carinho e com esse apoio que faz toda a diferença.

    Amoooooooo! <3

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.