Tudo o que um adulto quer

segunda-feira, outubro 12, 2015

Eu quero pular na cama elástica! 
Quero o meu algodão doce, mascar chiclete de morango e fazer bolas, quero correr atrás das borboletas, gritar pro carrinho do sorvete que passa na rua, assistir desenhos usando pijamas e tomando leite com chocolate, quero brigar com alguém que quer ser o mesmo Power Ranger que eu, quero poder rir sem culpa do Pica Pau ou de Chaves, quero correr sem sentir que meu coração está saindo pela boca, ficar embaixo do bexigão esperando as balas caírem, brincar de esconde-esconde e conseguir me esconder em lugares pequenos, quero ficar o dia todo assistindo TV Cultura para assistir O Pequeno Urso, Rupert, O Castelo Rá-Tim-Bum, eu quero!
Alguém me disse que não posso mais fazer essas coisas, porque são coisas de criança.
Mas, afinal, o que é coisa de criança?  
Eu posso ter minhas responsabilidades, mas também posso assistir Dragoon Ball Z, não posso?
Posso colocar meus patins e sair cantarolando músicas da Disney pela rua e, também, acordar cedo e trabalhar, não posso? 
Não posso? Por que eu não posso mais? Quem disse? Quem me prova? De onde veio isso?
Eu quero ser pirata, quero ser meu personagem preferido, quero voltar a acreditar no Papai Noel e no Coelhinho da Páscoa, quero voltar a sentir o mesmo nervosismo que sentia aos meus 4 anos na época do meu aniversário, quero me sentir livre para viajar nas páginas dos livros que minha mãe lia, quero minha caneca especial para tomar leite enquanto vejo meus desenhos, quero ir na locadora e pegar o mesmo filme pela décima vez, quero poder brincar no twister sem me preocupar se minhas costas vão doer no dia seguinte. Mas me disseram que não posso, porque é coisa de criança.
Mas... O que é coisa de criança?
Correr na chuva, raspar o fundo da travessa de doce, ser sincero sem ter medo de cara feia, cantar por ai sem ter motivo, acordar no meio da noite com medo e se enfiar na cama dos pais, isso é ser criança?
Ah, eu queria tanto ser criança... 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.