Eu assisti #2

sábado, setembro 05, 2015
Olha quem voltou! Desde o primeiro post, assisti vários filmes sensacionais e tenho várias coisas sobre o que dizer sobre eles, então eu resolvi testar um jeito diferente de falar sobre filmes aqui (isso vai acontecer muito no decorrer das postagens até eu encontrar uma forma que me agrade). Espero que gostem!

Os Sonhadores
Título original: The Dreamers | Ano: 2003 | Direção: Bernardo Bertolucci | Classificação indicativa: 16 anos | trailer

SINOPSE: Matthew (Michael Pitt) é um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Lá ele conhece os irmãos gêmeos Isabelle (Eva Green) e Theo (Louis Garrel). Os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos enquanto Paris vive a efervescência da revolução estudantil.

Eu já tinha ouvido falar sobre esse filme mas, por alguma razão, eu demorei um tempão para ver – e como me arrependo de não ter assistido antes! A dupla Louis Garrel (Canções de Amor) e Eva Green (300 - A Ascensão do Império, 007 – Cassino Royale) possui uma simplicidade complexa e uma química fascinante em tela que se completa com a atuação de Michael Pitt (O Universo no Olhar, Hannibal), fazendo um personagem meticuloso apesar de às vezes parecer inútil ao trio. Além disso, o filme é uma clara declaração de amor ao cinema, fazendo várias referências à grandes filmes (você pode conferir a lista de filmes citados aqui), e possui uma trilha sonora divina (Jimi Hendrix, Janis Joplin, Bob Dylan e muito mais) que acrescentam ainda mais ao enredo. 
Os Sonhadores é um filme sedutor que vai muito além do desejo e amor, ele é sensível e trabalha com a linha tênue da realidade e imaginação.

Mad Max: Estrada da Fúria
Título original: Mad Max: Fury Road | Ano: 2015 | Direção: George Miller | Classificação indicativa: 16 anos | trailer

SINOPSE: Assombrado por seu turbulento passado, Mad Max (Tom Hardy) acredita que a melhor maneira de sobreviver é vagar sozinho. No entanto, ele é levado por um grupo em fuga através de Wasteland em um War Rig (carro de guerra) dirigido por uma Imperatriz de elite chamada Furiosa (Charlize Theron). Eles estão fugindo de uma cidadela tiranizada por Immortan Joe (Hugh Keays-Byrne), que teve algo insubstituível roubado. Enfurecido, o senhor da guerra convoca todas as suas gangues e persegue os rebeldes impiedosamente na estrada de guerra que se segue.

Confesso que, antes desse último filme sair, eu nunca tinha ouvido falar sobre Mad Max, mas então eu vi o trailer e fiquei louca para assistir só que, como vocês podem perceber, só consegui ver o filme recentemente. Mas tudo bem, porque eu tive tempo para ver toda a trilogia original* e conhecer um pouco mais do trabalho de George Miller (Babe: O Porquinho Atrapalhado na Cidade, Happy Feet) que faz um trabalho genial de direção. Falando um pouco dos atores: acho que não preciso dizer que Charlize Theron (Branca de Neve e o Caçador, Lugares Escuros) está incrível, né? Furiosa é uma personagem forte e marcante e com certeza será lembrada por muito tempo; Max não é muito de falar mas sempre que abria a boca fazia a diferença, e ele pode ter até sido ofuscado pela Furiosa mas é ainda assim é um personagem interessante; já o alívio cômico (com um tanto de drama) fica por conta de Nicholas Hoult (X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, Warm Bodies) como Nux que, apesar de secundário, conseguiu minha simpatia. Eu ficaria um tempão aqui falando todos os pontos positivos do filme - como por exemplo o papel feminino no enredo - mas o post ficaria muito grande, então, vou tentar resumir: se você gosta de um filme cheio de ação, com uma produção impecável, um ótimo trabalho de fotografia, atuações de tirar o folego e ainda por cima com uma trilha sonora de arrepiar, você precisa agora assistir Mad Max: Estrada da Fúria

* Foi só por curiosidade que assisti a trilogia: Estrada da Fúria não tem nenhuma ligação direta com os outros filmes, eles apenas compartilham de uma mesma mitologia.

Matrix
Título original: The Matrix | Ano: 1999 | Direção: Andy & Larry (Lana) Wachowski | Classificação indicativa: 12 anos | trailer

SINOPSE: Em um futuro próximo, Thomas Anderson (Keanu Reeves), um jovem programador de computador que mora em um cubículo escuro, é atormentado por estranhos pesadelos nos quais encontra-se conectado por cabos e contra sua vontade, em um imenso sistema de computadores do futuro.
Em todas essas ocasiões, acorda gritando no exato momento em que os eletrodos estão para penetrar em seu cérebro. 
À medida que o sonho se repete, Anderson começa a ter dúvidas sobre a realidade. Por meio do encontro com os misteriosos Morpheus (Laurence Fishburne) e Trinity (Carrie-Anne Moss), Thomas descobre que é, assim como outras pessoas, vítima do Matrix, um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia. 
Morpheus, entretanto, está convencido de que Thomas é Neo, o aguardado messias capaz de enfrentar o Matrix e conduzir as pessoas de volta à realidade e à liberdade.

Quem nunca assistiu Matrix pra aula de Filosofia (ou pelo menos escutou o professor falando mil vezes da alegoria da caverna de Platão)? Fazia muito tempo desde a última vez que tinha visto e lembrava o básico do básico do enredo e isso foi muito bom, já que absorvi muito mais do filme agora do que da outra vez (fica a dica: assista de novo aquele filme que você viu anos atrás! Você pode interpretar de uma forma completamente diferente). Além de um enredo que te prende, os efeitos especiais são totalmente sensacionais e, juntamente com coreografias bem feitas, faz do filme revolucionário - isso sem falar da fotografia e uma trilha sonora de arrepiar.
Matrix é um daqueles filmes mind-blowing, cheio de cenas de ação memoráveis e que, apesar de longo, você precisa assistir pelo menos uma vez na vida.


Casablanca
Ano: 1942 | Direção: Michael Curtiz | Classificação indicativa: 12 anos | trailer

SINOPSE: Casablanca é a rota obrigatória de quem está fugindo dos nazistas na Segunda Guerra Mundial. É lá que Rick (Humphrey Bogart) vai reencontrar Ilsa (Ingrid Bergman), anos depois de terem se apaixonado e se perdido em Paris.

Sabe esses filmes clássicos que você conhece todo o enredo mas nunca viu? Esse é meu caso com Casablanca. Lembro de ter assistido parte dele em algum momento, mas só agora o vi completo! O filme é, acima de tudo, um romance mas não é aquela coisa clichê: é um romance que possui toda uma trama bem trabalhada e as cenas que seriam consideradas piegas se tornam belas e profundas. Mas indo além do romance, o filme trás também uma dose de ação, drama e até policial mas que funciona muito bem em conjunto. Mas algo que me deixou bem impressionada foi a fotografia que além de linda, há também uma movimentação de câmera que eu não esperava encontrar. Tenho um apelo a fazer: assista em preto e branco! Existe uma versão colorida mas, sério, você vai perder boa parte da magnitude que é esse filme!
Com diálogos e cenas memoráveis e interpretação magnífica de Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, Casablanca é um prato cheio para quem gosta de filmes ambientados na Segunda Guerra e para todo amante de cinema.

(Fonte: sinopses – Filmow; imagens - tumblr, we heart it e google)


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.